23 de setembro de 2015

II Conferência Paulista de Druidismo e RC

As meditações, visualizações e práticas devocionais feitas durante a Lua Nova e a Cheia são sugestões pessoais para nossas práticas druídicas e que nos auxiliam para aumentar a consciência e aguçar a percepção e, assim, reequilibrarmos a nossa energia, através de orações pessoais, inspiradas nos poemas de Carmina Gadelica ou Amergin.

O objetivo desta palestra é sugerir uma prática que proporcione disciplina, foco e motivação para contatar o Outro Mundo na busca de inspiração.


Bênçãos do Céu, da Terra e do Mar!

Rowena Arnehoy Seneween ®


22 de junho de 2015

Oração ao Guardião

(Animal Totem)

Ô guardião que toma conta do meu ser
Seja a chama brilhante diante de mim
Seja a estrela guia acima de mim
Seja o caminho suave atrás de mim

Ô guardião que toma conta do meu ser
Mantenha-me em segurança
E seja sempre um protetor gentil
Tanto de dia, como de noite...

Que assim seja!

Rowena Arnehoy Seneween ®
Todos os direitos reservados.





*Inspirada no texto de Carmina Gadelica, volume 1 - capítulo 18, de Alexander Carmichael, que passou anos coletando o folclore das culturas pré-cristãs da Escócia. Os poemas, apesar de cristianizados, incluem orações, bênçãos e encantamentos.

28 de abril de 2015

Celebrando os Ciclos

"Cada festival representa uma mudança diferente e uma forma peculiar de contatar o Outro Mundo... Um tempo sagrado para se comemorar, onde há três ciclos diferentes e especiais que correm paralelamente durante o ano, são eles: o Ciclo da Terra e do Sol, o Ciclo da Lua e Ciclo dos Acontecimentos, o Ciclo da Tribo." - Alexei Kondratiev.



Rowena Arnehoy Seneween ®


7 de janeiro de 2015

Regras da boa convivência!

Conselho básico que nos inspira a viver em paz na comunidade.

As Instruções de Cormac:

"- Ó Cormac, neto de Conn – disse Cairbre – desejo saber como devo comportar-me entre os sábios e tolos, em meio aos amigos e estranhos, entre os jovens e os velhos, em meio aos inocentes e perversos.
- Não é difícil dizer – falou Cormac.
- Não sejas muito douto, não sejas muito néscio,
Não sejas muito presunçoso, não sejas muito acanhado,
Não sejas muito orgulhoso, não sejas muito humilde,
Não sejas muito falador, não sejas muito silencioso,
Não sejas muito rígido, não sejas muito débil.
Se fores muito douto, esperar-se-á muito de ti.
Se fores muito néscio, serás enganado.
Se fores muito orgulhoso, acreditar-te-ão molesto.
Se fores muito humilde, serás sem honra.
Se fores muito falador, não te darão atenção.
Se fores muito silencioso, não serás estimado.
Se fores muito rígido, serás quebrado.
Se fores muito débil, serás esmagado.”

(Trecho do Livro de Ballymote - Tradução Bellovesos Isarnos)

Que assim seja!

Rowena Arnehoy Seneween ®