18 de julho de 2012

A Colina de Tara

Finalmente, chegamos à ilha esmeralda!

Estávamos em pleno verão, onde os ventos cálidos sopravam em equilíbrio ao momento presente. Ao longe podíamos ver a colina de Tara, imponente e forte, tal como em seus altos dias de glória ao clamar o poder soberano da terra.


Quanto tempo levei para retornar a casa? Não ouso dizer.

O preço do regresso foi custoso e, por vezes, muito amargo, como nos alertara a Rainha, Mor Rioghain. Mas a vitória tinha o sabor do mais puro e doce mel, uma promessa de Brighid que, agora, regia os campos floridos e nos presenteava com a cura, o calor e sua brilhante poesia.

O zunido das abelhas era ensurdecedor. Sim, o Sídhe estava em festa!

Respirei profundamente e a prece de nossa tribo, fluiu na mente:

"No centro do bosque sagrado, com os poderes do Fogo e da Água, com as bênçãos dos Três Reinos: Céu, Terra e Mar... Agradecemos os Deuses, Ancestrais e Espíritos da Natureza... E partilhamos com a Mãe Terra: proteção, sabedoria e fertilidade. Que haja paz entre os mundos!"

Caminhei lentamente, absorvendo cada minuto daquela sensação que nos transporta aos mundos sutis da existência. Minha alma dançava livre e eu sabia que estava de volta.

Ao pisar o solo dos meus Deuses e não-deuses, saudei os quatro ventos:

"Saúdo o Vento Leste, a morada da prosperidade,
Onde sopra os ventos da abundância e da fertilidade.

Saúdo o Vento Sul, a morada da grande canção,
Onde sopra os ventos da poesia e da inspiração.

Saúdo o Vento Oeste, a morada da sabedoria ancestral,
Onde sopra os ventos de todo o conhecimento imortal.

Saúdo o Vento Norte, a morada da força adquirida,
Onde sopra os ventos da bravura e da batalha vencida.

Saúdo o Centro do Mundo, a morada da soberania,
Onde sopra os ventos da paz e da harmonia."

Bíodh sé... Que assim seja!

Ao dizer essas palavras, senti antigos seres caminhando ao meu redor, como embalando a minha jornada, faziam me lembrar do velho portal que atravessei nas terras de tribos irmãs, consagradas à Arianrhod. Com o ramo de prata na mão alcancei o galho de ouro e durante todos esses anos, foram eles os meus verdadeiros guias e mestres.

Guardiões silenciosos a iluminar o caminho através das brumas de Manannán, que se manifestam durante o percurso e preservam muitos segredos ainda não revelados, embevecidos na taça do saber.

Então, sentei debaixo de um frondoso carvalho e continuei a admirar a grande colina... Pensei, sim há mais, muito mais a percorrer!

Rowena Arnehoy Seneween ®
Todos os direitos reservados.


4 comentários:

  1. Rowena Arnehoy Seneween,
    Ultimamente tenho me interessado bastante (alguma coisa dentro de mim me faz sempre pesquisar e me introduzir nesse mundo) na cultura celta e gostaria que me indicasse livros para que eu pudesse estudar, já que sou iniciante e estou um pouco perdida sem saber por quais caminhos andar. Seu site é bastante esclarecedor e tenho aprendido bastante com você. Obrigada.
    Camila Rodrigues
    kml_pi@hotmail.com

    ResponderExcluir
  2. Oi, Camila!

    Alguns links para estudo e pesquisa:

    http://www.templodeavalon.com/modules/mylinks

    http://www.templodeavalon.com/modules/smartsection/item.php?itemid=30

    E se quiser participar do nosso grupo de estudos do FB: https://www.facebook.com/groups/caersiddi

    Seja bem-vinda... Beijos! :)

    ResponderExcluir
  3. Gostei de teu site e, interesso-me por ocultismo
    pesquisando as cidades citadas proximas a Stonehendge, observei q está praticamente alinhadas Silbury / Stonehendge / Ols Sarum, há apenas 670m de desvio de Stonehendge do alinhamento, e o mais intrigante a relação nas distancias é muito proximo da razão aurea
    Parabens pelo site
    Vou iniciar meus estudos relativos aos Celtas & Druidas
    Fraternalmente Mucio

    ResponderExcluir
  4. Mucio,
    Obrigada por suas palavras! Lugares mágicos, tanto na Irlanda como na Inglaterra, bem como todos os lugares próximos à natureza... =)

    ResponderExcluir

Fáilte... Bem-vindo(a)!